LOCALIZAÇÃO

CALÇADÃO SHOPPING.

Rua: Sebastião Húmel, 268

piso térreo - Centro - São José dos Campos - SP - CEP 12210-200

Ligue ou mande seu WhatsApp

12 9 8818-0488 / 99631-1340

fundacaolitaurica@gmail.com

A Religião Única e Universal que enxerga o homem como um ser em evolução e coloca diante de si, as verdades incontestáveis da vida , provadas pelo avanço científico da humanidade.

Veja nossas publicações, ouça nossos áudios e conheça mais sobre a Litáurica.

LITÁURICA

© 2016 Todos os direitos reservados para Litáurica - A Religião Única e Universal. Design by Interage

LITÁURICA - A RELIGIÃO ÚNICA E UNIVERSAL

A Litáurica é a religião sem templos, sem dízimos e sem castas.
 

O homem de bem é o sacerdote em seu próprio lar.

Assimilando A Religião  Litáurica, o chefe ou o responsável pela família assume no lar a função de sacerdote. Ele é o responsável de passar e zelar pela moralidade, religiosidade, espiritualidade dos que estão sob sua proteção.

A RELIGIÃO UNIVERSAL

A Litáurica é A Religião Universal, uma religião sem dízimos, sem castas e sem templos. Prega que o homem digno de avançar na Nova Era tem que saber administrar-se espiritualmente, pois, ao final, vive rodeado de informações e meios que lhe permitem compreender que se não precisa de ir ao templo para respirar a vida, não precisa ir a lugares específicos para rezar, pois 'a reza' é ação e não precisa de intermediários para compreender e observar os contextos certos da vida.

A Litáurica é a religião dos novos tempos. É universal, derivada da essência dos Vedas e é a verdadeira continuação do Cristianismo fundado por João Batista, Jesus e seus apóstolos; o qual foi mudado e manipulado pelos poderosos durante a marcha da humanidade para atender a seus interesses.

A Litáurica se prova e apoia em fatos científicos, pesquisas e no esclarecimento de fatos históricos. É Religião Única e Universal por disposição específica da Vontade Maior.

A Litáurica prova ainda através da fotografia da aura, Kirliangrafia, a continuação da vida, a reencarnação, as dívidas do passado (Carma espiritual) projetadas ao presente e suas repercussões na atual vida atrapalhando as pessoas no curso de suas vidas. Também trabalha com a sua terapia espiritual que resolve estes casos. Prova que há muito mais coisas entre o céu e a terra do que um deus com barba branca parecendo um avô que ficaria concedendo graças a suas criaturas por pertencerem a alguma determinada religião e/ou lhe prestando algum tipo de culto.

A Litáurica prova os abusos feitos pelos homens em cima da religião através de fatos históricos e os esclarece, também trabalha na base da terapia espíritual para resolver estes casos. A Litáurica não é e nem se utiliza do espiritismo convencional. Chama aqueles que estão dispostos a pensar e trabalhar pelo seu próprio desenvolvimento espiritual, assim como o fazeí por seu desenvolvimento físico, intelectual e etc.

A Litáurica é a reforma espiritual marcada para estes tempos estando pré anunciada em várias profecias, assim como a vinda de Jesus também foi. Jesus e Allan Kardec já sabiam.

Esta reforma foi encomendada à reencarnação de João Batista. Reencarnou neste nosso tempo, cumpriu a exigência do Plano Espiritual Maior que era " corrigir o abuso espiritual que o homem tinha cometido sobre na Itália sobre a religião". Documentou tudo isso em livros denunciando este abuso. Pesquisou o Espiritismo na ótica da Reforma Litáurica. Desenvolveu método de interpretação da saúde espiritual (foto da aura), denunciando de forma científica as consequências metafísicas deste "Abuso Espiritual". Ensinou a realizar os tratamentos que hoje é aplicado na recuperação das auras que é A Terapia Litáurica.

 

Já desencarnou, deixando bem claro o cumprimento da sua missão neste novo marco da espiritualidade do homem; assim como outrora tivemos o Mosaísmo, o Cristianismo apostolar e a tentativa doutrinária do Kardecismo.

A RELIGIÃO DO LAR

A Litáurica é a religião do lar, onde o responsável pela família assume para si a incumbência de dar a orientação inicial para os seus.

É a religião final. A que descobre e pratica todo aquele que ao final, forma uma unidade com o seu espírito e eu interior. A que adotam todos aqueles que, por fim, reconhecem através do descobrimento do seu espírito a sua filiação divina e se entregam a vontade do Pai. Esta é a religião verdadeira, a da busca pessoal de Deus no íntimo de cada um. A religião da experiência individual, a mais árdua e difícil. E cada um, solitariamente, como um cavaleiro galopará para o amanhecer espiritual. Só aqueles que estiverem conscientes da sublime Paternidade de Deus poderão compreender-nos. O resto nos rejeitarão porque ainda se acham ligados ao medo e à submissão. Mas então se rejeitarão a si próprios...

O chefe da família assume no lar a função de sacerdote, de passar e de zelar os ensinamentos morais e espirituais.


... Pois a religião não é só um sentimento passivo de dependência absoluta e de certeza na vida eterna, é muito mais. Na Litáurica é uma permanente descoberta de si mesmo e dos demais, uma caminhada febril para a felicidade, um repositório de sabedoria e um contínuo sobressalto, é continuação quando então já não precisaremos de templos nem de ministros de Deus, teremos templos de luzes de em nós mesmos. Nessa audaz corrida para o alvorecer espiritual, iremos buscando o melhor dos homens e os faremos continuadores. Seremos curiosidade e luz e jamais nos satisfaremos. A Litáurica dará sentido à nossa vida terrena e, mais adiante, às gloriosas experiências nas esferas do grande universos, nosso lar imediato. A religião da experiência pessoal nos dará segurança.

E está escrito : ‘Um só rebanho com um único pastor’; todos serão chamados à definitiva "aventura" da Litáurica. Quando Deus será admitido como a realidade dos valores, a substância dos significados, a vida e a verdade.

E está escrito : ‘Um só rebanho com um único pastor’; todos serão chamados à definitiva "aventura" da Litáurica. Quando Deus será admitido como a realidade dos valores, a substância dos significados, a vida e a verdade.

Enquanto seguirmos as religiões em busca da salvação pessoal, egoísta, como passagem para o além, enquanto seguirmos as ditas sociedades secretas em busca da perpetuação do nosso ‘Eu’, em busca do poder e da riqueza, tivemos que nascer e renascer muitas vezes para poder nos libertar, mas nisso o ser humano esqueceu o essencial, pois não foi criado para isso, e daí agora lhe veio a Reforma e o Juízo.

O que ainda não conheceu a Litáurica não entende o universo. E, no seu cego empenho por sobreviver, luta por dobrar a natureza. Como subjugar o universo se ele faz parte de nós mesmos? Os homens que ainda dormitam nas crenças fixas não sabem que não se pode frear a natureza. Aquele que humilha e agride a natureza será esmagado pela criação.

Só existe uma religião capaz de salvar-nos, a que nos salva do nosso próprio ‘eu’ e liberta as criaturas de seu isolamento no tempo e na eternidade. Essa religião Litáurica jaz no mais íntimo do espírito. Este é a religião de Jesus de Nazareth, a que ninguém compreendeu quando em sua estadia entre os homens, que anunciou assim:

Quando, porém, vier aquele que é o Espírito da Verdade, ele vos guiará em toda a verdade.

O Abuso Espiritual cometido sobre a Religião

Em 313 D.C. , com o grande avanço da "religião do carpinteiro", o Imperador Constantino Magno enfrentava problemas com o povo romano e necessitava de uma nova religião para controlar o povo. Aproveitando-se da grande difusão do Cristianismo, apoderou-se da religião e modificou-a conforme seus interesses...

O Imperador Constantino foi o grande articulador do abuso cometido sobre a religião. Transformou toda a religião de Jesus de Nazareth em uma fábula necessária para aproveitar o avanço do Cristianismo e transformá-lo  em uma religião utilitária à Roma.

Para manter o seu domínio sobre os homens e estabelecer a autoridade humana, as autoridades eclesiásticas romanas deviam manter a ignorância sobre as filosofias e escrituras. A mesma Bíblia devia ser diferente. Devia exaltar Deus e os Patriarcas mas, também, um Deus forte, para se opor ao próprio Jeová dos Hebreus e de Jesus, ao Buda, aos poderosos deuses do Olimpo. Vieram a determinar de trazer a Divindade Arcaica Oriental, misturada às fábulas com as antigas histórias de Moisés, Elias, Isaías, etc., onde colocavam Jesus, não mais como Messias ou Cristo, mas maliciosamente o Jesus parafraseado de divindade no lugar de Jezeu Cristna, a segunda pessoa da trindade arcaica (Hinduísmo). Disso tudo devia nascer uma religião forte como servia ao império romano. Vieram ainda a ser criados os mitos da Sagrada Família; de todos os Santos, mas as verdades do verdadeiro cânone do Novo Testamento, e as Sagradas Escrituras deviam ser suprimidas ou ocultadas, inclusive as obras de Sócrates e, muito mais, esta obra do Jesus verdadeiro.

Esta lógica foi adotada pelas forças clericais mancomunadas com a política romana, que precisava desta religião, forte o bastante, para impor-se aos povos dominados por Roma; para assegurar-se nos domínios conquistados, onde dominava as terras, mas não o espírito dos povos ocupados. Em troca, o Cristianismo ganhava a Universalidade, pois ia se tornar "A Religião Imperial Católica Apostólica Romana", a Toda Poderosa, que vinha a ser sustentada pela força da espada, nominalmente remissiva, predicando o perdão, mas que na prática, derrotava os inimigos à força.

 

O imperador romano Constantino foi o articulador desta combinação. Depois do período apostólico, o cristianismo era uma presença desorganizada em Roma. Havia confrontações com os pagãos e perseguições à causa dos cristãos. Em 313, Constantino partilhava o governo com Licínio e encontrando-se em Milão, vieram discutir a situação e decidiram que os cristãos fossem livres de praticar a sua religião. Com este édito, eliminavam definitivamente as perseguições aos cristãos do império romano. Os perseguidos, para firmar a nova posição, transformaram-se em perseguidores dos pagãos e daí nasceram novas desordens, ao mesmo tempo em que a nova religião tornava-se uma nova moda. Vários líderes cristãos adotaram o método religioso da reunião, igual a dos pagãos, e começaram a surgir Igrejas, onde os devotos ricos iam e vinham entre os pobres, desfilando sedas e jóias, nos quais os bordados cristãos tinham substituído as figuras míticas pagãs.
Mas também este cristianismo estava longe de ser uma força política segura.

Havia o perigo da Pérsia sassânida, que, antes uma nação fraca, tornava-se um estado em expansão feroz, que mais tarde conquistaria quase todo o Oriente romano. Havia o perigo das Heresias, os maníqueus, por exemplo, que com seus missionários e textos sagrados, estavam ganhando adeptos no Turquestão e na China. Havia dissensão política nos recantos mais distantes do reino, onde havia administradores que estavam deixando de ser leais com Roma. Havia inflação alta, que Constantino piorou. Havia os Judeus com seus livros religiosos. E havia ainda, os pagãos. Então não era da tolerância pregada pelo cristão que Constantino precisava, mas de uma religião autoritária, rígida, sem evasivas, de longo alcance, com raízes profundas no passado e uma promessa inflexível no futuro, estabelecida mediante poderes, leis e costumes terrenos. Para isso, Constantino devia adaptá-la, impondo-lhe a sua estrutura hierárquica, seu regime monárquico imperial, sua política de conquistas de territórios e de acumulação de riquezas, e até mesmo, devia usar a sua língua, o latim, e sua capital, Roma, para serem o idioma e a sede da Igreja Católica Apostólica Romana, portadora da única religião que ele lhe devia providenciar. Não era nada disso, mas, na sua influência, veio a ser.

 

Já em 313, a mãe de Constantino, Helena, ardilosamente, tinha começado a infiltrar-se entre os cristãos e numa sua peregrinação ao Calvário, aos pés da colina, mexendo na terra com as mãos, fez o seu "milagre" pois reencontrava aí, os três pregos que teriam sido da crucificação de Jesus. Aos dias de hoje seria um milagre mesmo, porque nenhum prego resistiria tanto tempo à corrosão da terra e, também hoje, vem a provar-se que tais formas de pregações não eram usadas na época de Jesus, pois os pés eram pregados aos lados da barra e fixados a pregos nos calcanhares. Mas com uma mãe tão ardilosa, em maio de 325, em Nicéia, Constantino apresentou-se diante a uma corte de bispos nomeados por ele. Declarou-se bispo das coisas externas e declarou que na sua recente guerra (de traição) contra Licínio, havia realizado uma campanha contra o paganismo. Graças a estes feitios, daí em diante, devia ser visto como um líder, emissário da própria divindade; ao final era o Imperador.

Quando morreu, em 337, foi batizado e enterrado na consideração de que ele se tornara um décimo terceiro Apóstolo, e na iconografia eclesiástica veio a ser representado recebendo a coroa das mão de Deus. Constantino, como vimos, tinha necessidade de uma religião que viesse ao seu caso, além de neutralizar a infiltração da lei do Amor no Estado que lhe enfraquecia o poder, e esta oportunidade a via no próprio cristianismo. Devia porém modificá-lo primeiro e, a tal propósito, decidiu, nesta, brandir contra os pagãos, os próprios heróis deles impondo aos cristãos novos valores. Na sexta feira Santa do mesmo ano, em Antióquia, dirigiu-se a uma congregação de bispos e teólogos cristãos, e lhe falou da profecia , da "verdade eterna do Cristianismo". Batizou a reunião como: "Assembléia dos Santos", e disse: "Meu desejo é derivar, 'mesmo de fonte externa', um testemunho da natureza divina do Cristo, pois diante de tal testemunho devia ser evidente que mesmo aqueles que blasfemavam Seu nome, deverão reconhecer que Ele é Deus e filho de Deus". Assim começou a história desta religião derivada de uma elástica interpretação da obra de Virgílio (poeta latino 70-19 a C.), de autoria grega, que muito mais tem a ver com as idéias de Constantino de que não com aquelas de Jesus, que aí ficava só como emprestando o Seu nome.

Tradicionalmente, as profecias eram consideradas infalíveis, quando serviam aos governantes; logo, era mais fácil mudar as circunstâncias históricas do que alterar as palavras da profecia. Constantino não alterou a História, nem as palavras proféticas da Sibila Eritréia, mas foi por-na no seu caso e omitiu só, que isto fazia parte da mitologia pagã. Mandou traduzir Virgílio para o grego, com licença poética elástica como lhe servia aos seus propósitos políticos. Constantino, auto nomeado bispo também leu trechos do poema traduzido para sua platéia e tudo o que lhe servia para montar a sua Bíblia estava lá, nas palavras antigas de Virgílio havia "a Virgem, o esperado Messias, os eleitos, o Espírito Santo, etc.". Constantino escolheu discretamente esquecer aqueles trechos em que Virgílio mencionava que isso se referia aos deuses pagãos, Apolo, Pã e Saturno. Personagens antigos que não podiam ser omitidos tornaram-se metáforas da vinda de Cristo. "Outra Helena outra guerra criará,/ E o grande Aquiles apressa o destino de Tróia", escrevera Virgílio. Isso, disse Constantino, era o Cristo "fazendo guerra contra Tróia, entendendo por Tróia o próprio mundo..."

Esta história é contada por completo no livro "UMA HISTÓRIA DA LEITURA", de Alberto Manguel, COMPANHIA DAS LETRAS -SP. 1997- (da páginas 228 a 237) da "LEITURA DO FUTURO" - Editora Schwarcz ltda. S.P.

E diz ainda este autor: "O edito de Milão oferecera liberdade de fé a todos os cidadãos romanos; o Concílio de Nicéia limitou essa liberdade só para aqueles que se reuniam em lugares determinados, e adotavam o credo de Constantino. Passados apenas doze anos, gente que ganhava em Milão, em 313, o direito público de ler ou praticar a crença que quisesse e como quisesse, agora, em 325, era informada, em Antióquia e Nicéia, de que somente uma leitura e uma crença era verdadeira, sob pena de punição legal. Estipular uma crença única e um texto religioso era necessário, segundo a concepção de Constantino de um império unânime. Mais original e menos compreensível é que a noção de uma única leitura ortodoxa para um texto secular como os poemas de Virgílio viesse a ser a Bíblia; que depois daquele tempo veio a ser conhecida como de São Nilo, feita de figuras, que eram inspiradas por conta dos oráculos falados, que da palavra escrita, da obra de Virgílio, passou a formar esta Bíblia desenhada."

Até o século IV, o prestígio atribuído a oráculos falados fora transferido para a palavra escrita, que se desenvolvia em forma de adivinhações das figuras conhecidas como "cleromancia dos evangelhos". E em 382 já havia uma pena de morte a proteção destas verdades, das sortes virgilianas.

No segundo Concílio de Constantinopla, definitivamente vinha a ser declarado herético o conceito da reencarnação, onde vinha a triunfar Constantino e seus significados proféticos cristãos, que de Virgílio vieram assumir um papel importante nesta mitologia, pois nasciam as bases latinas da Bíblia de São Gerônimo chamada de "Vulgata", pois todas as Bíblias posteriores são da Idade Média. No século V, o prestígio atribuído ao "oráculo falado" vem permitir a Constantino "guiar Dante, com Virgílio, pelo inferno e purgatório". E pelas alucinações deste visionário pagão, nasceu uma religião que abriu uma estrada larga, para conduzir muita gente para lá, que até os dias atuais continua abarrotada de gente.

Este é "o abuso espiritual que o homem cometeu na Itália sobre a religião", que eu, Luigi, fui chamado a corrigir e a Litáurica nasceu disso, para difundir esta correção pelo mundo afora. Foi uma blasfêmia do poder romano. Uma mistificação que se estendeu e influenciou o mundo todo, e vem representada hoje pelas suas conseqüências: muitos bilhões de Espíritos perdidos, que não foram e não serão aceitos no 'Céu', sendo adoradores de imagens e falsas divindades, seguidores de uma religião pagã desautorizada que, hoje estão vindo a conhecer que em se opondo diretamente ao Primeiro Mandamento, já são barrados na sua evolução e na dissociação da matéria agora encontrarão o Juízo, pois é tempo da Reforma Espiritual.

A Reforma

 

Quantos por falta de opções procuram a linha mística em busca de uma paz interior que não possuem? As religiões lhes dizem: "que Deus colocou este vazio no ser humano para que seja preenchido com a meditação, a oração e as práticas de caridade"; a linha transcendentalista lhes diz: "que há de se buscar a evolução no aproveitamento do recurso interior". Mas não aceitam que, simplesmente, ao reencarnar, o ser dimensional vem posto num lugar da esfera social humana em função dos méritos e deméritos do passado, de onde sairá, na conseqüência de suas ações, orientadas ao resgate ou evolução e na colocação dos valores contemplados no Cristianismo Litáurico.

 

A Litáurica prova, que apesar de não serem lembrados, os problemas das vidas passadas são trazidos ao presente através do Carma, e lei de Talião que se descobre, muitas vezes, acompanhada de perto pelos próprios envolvidos de outras vidas; espiritualmente ligados "às auras" das pessoas, de onde lhe provocam os "fenômenos mediúnicos", na escala que vai da simples falta de paz, já dita, até a internação pela falta da razão na alienação mental, incluindo nisso a provocação de inúmeros problemas psicofísicos - emocionais, que sempre dependem dos graus de cobrança dos tributos anteriores devidos. Nisso há uma nova perspectiva, por onde se devem refazer conceitos e pensamentos, pois se prova que muitos se alimentam de simples paixões mal compreendidas e não evoluem, onde quem vive ao léu se acidenta, se insensibiliza, seguindo as dependências mediúnicas, ou dos inibidores químicos, alcóolicos, drogas e ainda, aflitos por imensa infelicidade pessoal.

A Litáurica trata e ensina a resolver a problemática e indica as causas. Prova ainda que Deus não é um mito, mas está presente nos espíritos que fazem parte da Criação da qual o homem não é dono, mas participante com o seu espírito sujeito as suas leis e regras divinas, de onde não sairá se não através do seu aprimoramento na plena consciência e na prática destes valores (Védicos).

A "Reforma Litáurica" reforma o sistema espiritual porque novas e definitivas considerações são postas na consciência individual e coletiva. Considera-se a lei da causa efeito e a reencarnação, já conhecidas, mas que hoje vêm a provar-se na fotografia da aura. Não substitui crenças, não funda um novo clero, não abre novos templos, mas ensina uma reforma onde a relação com Deus está onde a gente vive, onde cada um respira, pois Deus é vida, é leis físicas e metafísicas, é Carma, é Criação, é Natureza que o ser humano desprezou tanto e prejudicou, por acreditar-se a imagem de Deus e dono de tudo isso quando depende disso para alimentar-se e agasalhar-se. Nisso a Reforma Litáurica coloca o ser humano diante a uma nova visão da vida, pois existem regras a serem observadas mas são aquelas que levam ao progresso e não aos dízimos, mas ao Juízo que está ocorrendo.

A "Reforma" já ensinada no livro "Vida de Jesus ditada por Ele mesmo", psicografado na França em 1830, editado em vários Países como França, Espanha, Itália, Portugal e no Brasil, em português, editado atualmente pela Editora Trinta e Três do Rio Grande do Sul. A "Reforma Litáurica" se oficializou em junho 1995 na Mesa Litáurica de São José dos Campos, presidida por LUIGI, o "PEREGRINO", legítimo continuador, na Litáurica, do Espiritualismo Cristão. Um Espiritualismo que já nasceu na sua antiga filosofia Védica, que ele realizou em outros tempos, quando de sua outra convocação para servir a Brahama (Deus).

Na Litáurica não existe o culto da personalidade, pois põe principalmente em evidência as responsabilidades individuais diante à evolução espiritual, que são intransferíveis tanto como a respiração, de onde, cada um atinge a vida. Entretanto é realizada como uma missão da reencarnação de um mito, que volta para estas finalidades e é assim que lhe vem apresentada para simplesmente fazer justiça ao mandante e para que se cumpra a Sua vontade. Mas na personalidade deste autor existe a consciência exata da sua dimensão de homem comum, que só quer cumprir na melhor forma a sua tarefa e por isso é que tudo já lhe vem posto bem na frente, para que não sejam feitas falsas interpretações antes ainda que se prossiga, para não abusar de seu tempo, dando-se assim, ao mesmo tempo, importância à matéria tratada.

Jesus, um dos Mestres Primordiais, estava muito avançado para sua época, não o entenderam e ainda o crucificaram.

Litáurica - Atividade associativa de caráter religioso, filantrópico e "Reforma espiritual". Missão do Precursor do Cristianismo, João Batista, em sua última reencarnação; neste século, LUIGI, Italiano, 66 anos, residiu no Brasil, na cidade de São José dos Campos, SP. Ensinou e ensina através dos Livros a "Reforma Litáurica" que se contempla nos seus livros: "Os Ponteiros Direcionados ao Céu III" , "Caminho Litáurico",  "O Evangelho Segundo a Litáurica", "Recortes Litáuricos" e a "Cartilha Litáurica".

A Litáurica nasce da Luz da predestinação do seu Autor e também de amplos estudos das religiões. Seus conceitos são comprovados na metafísica da fotografia da aura (Kirliangrafia), quando na sua interpretação Litáurica detectam-se os problemas das pessoas, e onde com método próprio, realiza-se as terapêuticas de recuperação. Operou há cinco anos em sua sede e, Luigi, operou vários anos junto a dois hospitais psiquiátricos aplicando seus métodos, inclusive nos tratamentos dos dependentes alcóolicos e drogados; operou até desentender-se em definitivo com os tradicionalistas das antigas crenças e sistemas, pois estes ficam ligados aos remédios onde o problema áurico se associa à instabilidade psicofísica destas pessoas; onde a Litáurica os considera consequências de erros de vidas passadas ligados ao carma que podem degenerar inclusive nas dependências alcoólicas e drogas, e eles dizem que é a falta de rezas. O método litáurico ajuda na instabilidade emocional sem remédios que muitas vezes tornam-se prejudiciais até nas reencarnações. Situações que ninguém explica e que muitos procuram solucionar com desenvolvimentos mediúnicos, enquanto outros, buscam nas terapias alternativas e remédios, neutralizar a tensão interior

A Litáurica é uma reforma religiosa que convida ao ser existente pensar sobre a sua atual situação, fazer suas próprias pesquisas e reflexões e viver a sua vida de acordo com as leis universais. Mas que leis seriam estas? Leis escritas por um homem, por um pastor ou por um médium? Não, leis comprovadas pela ciência, pela comprovação dos fatos físicos e metafísicos. Trata-se de uma reforma que leva o homem a indagar, pesquisar, procurar e a concluir a grande obra da existência...

A Revelação

O que levou o fundador da Litáurica a promover tamanho trabalho entre as pessoas que o destrataram e não quiseram ouvir, embora tudo o que falou está perfeitamente provado? O que levou este homem a enfrentar os "doutores do saber" ? O que move indiretamente a Litáurica neste sentido?

Esta foi gravada, e nesta se observa que em alguns pontos há interferências do médium. Especialmente na parte em que há referência aos Milagres de Jesus, que Ele mesmo (Jesus) contesta no livro, "Vida de Jesus Ditada Por Ele Mesmo". Fundamentalmente, estas diferenças motivaram outras pesquisas e outras consultas mediúnicas, e somente após várias confirmações do básico, é que vem reportada na íntegra, ressalvando que são considerados Milagres também os operados pelos Apóstolos mas não estranhos aos estudos do Espiritismo e magnetismo, como simples desobsessões. Havia médiuns operando comigo na Mesa da Litáurica naquele tempo, onde se começava as terapias para recuperação das auras. Se procurava a melhor forma, e aconteciam coisas estranhas, e fui procurar saber fazendo uma sessão particular, em 30 de junho de 1995.

A gravação começa assim:

...se fez presente, as doenças, os poros da Terra sangrando, e o homem ficando... longe da Ciência e das Leis de Deus. Que esta luz se faça grande, que este amor desenvolva, que assim seja. Pode fazer a primeira pergunta, irmão.

Aqui nesta Mesa Litáurica estão vindo os Apóstolos.

 

Foram destacados por nosso Deus, nosso Pai.

Mesa de evangelização Litáurica. Onde o Arcanjo Samuel investiu Luigi como sendo o novo Cristo em trabalho na Terra.

 

Mas a gente está com bastante tensão. Quando iniciei a Litáurica, disseram-me, que eu era a reencarnação de um monge que escreveu os Vedas. Que como conseqüência disso, eu tinha a responsabilidade espiritual a cumprir. Trabalhei nisso, me aprimorei, e escrevi o livro Litáurico (Os ponteiros direcionados ao céu). Trabalhei nas curas, no Espiritismo, nas pesquisas sobre a aura e estas fotografias metafísicas, em suma, vocês sabem.
O meu Mentor, Francisco de Assis, sempre me auxiliou, e uma falange espiritual Litáurica, sempre me ajudou nestes trabalhos espirituais que realizo há nove anos com muitos médiuns.
Agora o trabalho se aprimorou, pois curamos a própria mediunidade, e a Litáurica trabalha na terapia da aura, em todos os níveis, e até com os internados do Hospital psiquiátrico (Hospital Francisca Júlia, em São José dos Campos). Além de Francisco de Assis, hoje temos assistência de Antônio de Pádua. As linhas espirituais dos beneditinos e franciscanos nos ajudam, e até Teresinha do Menino Jesus ainda se justifica no trabalho que realizamos, mas os Apóstolos, não se justificam só para acompanhar este aprendiz, que nem chega aos pés desta Mesa Espiritual.

Luigi, os Apóstolos foram destacados, como foram destacados, noutros tempos remotos, por compromissos que fizeram com este Cristo que está no Céu, e que o homem vem crucificando no dia a dia; Este que continua sentado à direita do Pai. Mas tu poderias ser Cristo se lançasses a bandeira. Se estiveres de braços cruzados, jamais serás o Cristo, ou o homem que foi destacado para dirigir a bandeira do Mestre.

Então o que deveria fazer?
Assumir a bandeira Crística, porque tu és Batista. Tu és o João Batista, e quantas vezes já não foi confundido com Cristo? Eu fui destacado só hoje para vir aqui, porque sou um Anjo da Imagem do Senhor. E se tu queres saber quem tu eras, saberás. Pede para este que está dentro de ti e Ele te mostrará. A tua viagem será grande. Tu já foste confundido, no passado, com o Cristo, e hoje, esta luz que está na tua cabeça, diz que tu podes ser Cristo, e tanto quanto tu quiseres ser. Nós, Pedro e Paulo, e mais Apóstolos, estamos dispostos a te servir, porque assim foi indicado.
O crescimento da tua doutrina será grande, e tu poderás ser o Cristo desta religião. Assume o teu papel Crístico, senta a direita, conduze os trabalhos, e a força do mal não virá mais aqui. Eles vieram porque, tu foste tentado no deserto, e tu os perturbaste. Tu preferiste comer insetos e despojar-te dos privilégios humanos, e camuflar-te atrás de roupas de pêlos, e deixaste crescer barbas e cabelos, ficou uma figura esquelética e assustadora, e deixou de ser aquele que veio antes do Senhor.
A posição Crística está dentro de ti. Dentro do teu ideal. Dentro da tua luta. Tu poderás ser chamado de Cristo.

Mas eu nunca visei ou almejei isso, a minha intenção não seria isso.

Mas o murmúrio já está na boca Luigi. E quando saires desta Mesa, para fazer o teu trabalho lá fora, as pessoas sentem que uma presença anormal está dentro de você. Eles verão isto sempre mais, e tu serás confundido com o Cristo.

Se isto vai facilitar a causa, assim seja, mas vocês, que vêem no meu coração, sabem que jamais almejei isso. Para mim Cristo sempre foi Jesus, que sempre foi o meu Cristo. Eu só queria saber o que fazer.

Luigi, qual filho que vem do Céu, que está à direita do Pai, que reencarna hoje para limpar os pecados dos homens, este será o Cristo, e este nasceu contigo. Só que tu tens o teu Carma e as tuas dívidas, o teu flagelo e as tuas imposições: pela tua fuga, e pela tua fuga do Evangelho. Pelo teu poder de escrever muito mais do que o homem já teve, e não cresceste. Agora te foi dada uma religião que começou do nada, de um simples início, e tu a realizaste, e de um simples começo está ganhando força. Chegou a tua hora e o teu momento de assumir o teu papel de Cristo. Não tem conveniência nenhuma em fugir, porque tu és hoje aqui na Terra, o nosso Cristo.
Se paraste e pensaste, vê do que vieste! A língua que tu falas, e as andanças que fizeste; vê que só podes ser o PEREGRINO. Vieste de um País pequeno, da dúvida e do misticismo, onde o homem do capital e da fortuna, está carregando multidões (Itália). Não sejas mais este que fugiu para o deserto, pega o teu cajado e vai. O teu momento chegou, aproveita estas pessoas que estão ao teu lado, e os Apóstolos e os Santos, para te ajudar; aproveita o trato que fizeste com Gabriel, Rafael, e todos os Arcanjos, e a mim, e todos os que estão no Céu dizendo Amém.
Sente esta energia, esta luz, porque tu sabes que não vim sozinho, e há uma legião aqui sustentando-me, porque não poderia estar com o médium que nem estava preparado.

Poderia saber quem você é?
Eu sou aquele que está á direita do Pai, segurando a flama do Amor e a espada da Justiça, eu sou Samuel.

Está bem, era só isso que eu queria, encontrar o caminho certo.
Teu caminho, Luigi, é não fugir mais para o deserto, encara isso com realidade, com amor e compaixão. O Cristo, quando esteve na Terra, assumiu o compromisso aos 30 anos, e no batismo de ti mesmo. E nós lá no Céu, sempre empurrando, sempre pedindo, para assumir. Quantas vezes Ele orou sozinho, com a mesma dúvida que tu tens agora: - será que sou o Cristo? Será que devo assumir? Será que serei este homem grande, que jamais poderá voltar na Terra, a não ser, através de uma mente, que Deus, lá no Céu, indicará aqui na terra.
Cristo está presente dentro de ti. Muitos receberam este papel e deixaram o orgulho tomar conta deles, subiram ao império, preferiram o ouro, o dinheiro, a fama, e foram jogados, e tu no passado, também preferiste o deserto, com medo de enfrentar a sua realidade, para sofrer ainda, nas reencarnações depois. Sofrer a conseqüência de ter a cabeça cortada. Sofrer a conseqüência de ser um gladiador. Sofrer a conseqüência de lutar depois com aquele que cortou a tua cabeça. Vir na Terra para escrever coisas para o Mestre conhecer depois de ti. Teve ainda a chance de conviver com Ele e fazer Milagres que hoje não são mais capazes de fazer, e andar nos mesmos caminhos.
Tens mais alguma pergunta a fazer? Aproveita, porque estou autorizado a responder.

Não, é só isso. E me desculpe, pois estou confuso.
Assume o teu compromisso sem medo. Assume, porque esta luz que foi te dada e te acompanha, será vista por muita gente. Muitos virão e sentirão, porque muitos já andaram contigo um dia, já foram teus Apóstolos, já seguiram o teu caminho, já foram teus filhos e já levaram a tua bandeira, porque tu és considerado como Cristo em muitas religiões. Muitos adoram João Batista, mais de cem milhões, e esqueceram o Mestre.

O papel será assumido: peço a Deus a luz e a proteção necessária, para não errar, para ser inspirado e, na hora certa farei isso.

É já por isso que estas coisas visitaram esta Mesa. Como tu foste tentado no deserto, 40 dias e 40 noites, eles te reconheceram e vieram aqui, e um deles te falou o motivo - disse: Tu uma vez me perturbaste e agora chegou a minha vez, tu te lembras? Ele veio para te destruir, com todos a postos, todos armados, para deixar você e os seus vencidos. Mas a partir de hoje, não poderão de novo entrar, eu te garanto, se não, não serei mais o Samuel, aquele que está à Direita de Deus e do Cristo.
Orarei por todos vós, pois cada teu médium, terá proteção da nossa luz e nosso amor, e não será permitido, que sofram males da Terra, e a partir de hoje, esta luz estará sobre a tua casa, e muitos que seguirão o teu caminho, serão felizes porque um dia te conheceram.
Eu te transmito a graça de Deus. Deste Deus que está nos olhando e com este fogo de luz que tu podes sentir agora, que está em cima desta casa. Este fogo de luz, que agora está na tua casa, sobre a tua esposa, sobre os teus filhos. Tu não terás mais encarnações, mas sofrerás as conseqüências de não teres assumido, como já te aconteceu. Como foi falado nesta casa, os nossos irmãos pedem para tu colocares este manto, porque esta fonte de luz, apagará todos os intrusos, e todos aqueles que um dia se puserem no teu caminho.
Que a paz de Deus esteja com vós e a glória do Senhor esteja contigo. Que assim seja.

Voltando a nós:
Este autor, também, veio ainda a ser orientado, em palestras espíritas, onde através de médiuns em oportunidades diferentes, só no Brasil, gravou oitenta horas de fitas K7. E vem ainda proporcionar experiências refletidas em volta de centenas de casos de desobsessão realizadas nas sessões espíritas, tanto em Hospitais psiquiátricos, como nos tratamentos da Mesa Litáurica, e ainda, na base de estudo de aproximadas vinte mil fotografias da aura, Kirliangrafias, de variadas tipologias: homens, mulheres, crianças, cristais, de fora e internados em hospitais psiquiátricos. Porque todo este trabalho? Porque há esta Nova e Grande Religião que vem a completar-se inserindo nela aquilo que foi descumprido, pelos que no passado, extraviaram-se atraídos por outros valores e porquê suas consequências, novamente, deveriam ser pagas pelos outros ?

Este é um trecho composto de experiências postas no papel (Livros das Legiões Litáuricas) e, quando surgem novas, é atualizado conforme, de onde se reporta, também aquilo que se encontra nos contextos da Kirliangrafia e do Espiritismo conjuntos, ao mesmo tempo serviu para concluir esta disposição espiritual, e da Litoterapia, e a estruturação da Litáurica, onde hoje, muitos já podem comprovar a sua validade nos atendimentos dos planos tantos materiais quanto espirituais.

Na base deste trabalho visam-se resultados substanciais, dos muitos que nos acompanham do Além, e nas pessoas que se encontram na falta de estabilidade emocional e sem motivação da vida, pois este espiritismo, muitas vezes, opõe-se como última alternativa - às exaustivas praticas agnósticas e sem efeitos que se praticam em muitos lugares.

E ainda se sustenta na sinergia paranormal deste autor e pelos apoios espirituais em que se sustenta, onde a intuição mediúnica passa pelo crivo mental para orientar a doutrinação, realizando uma rara combinação Espírita. Onde, neste contexto, entram também a energização da gema da Litoterapia, que, quando fotografada, mostra a luz védica .....e já demonstrou a muita gente a sua força na cura.

E nestas bases somam-se, ainda, as interpretações Litáuricas das Kirliangrafias, onde se evidenciam a evolução, a reencarnação, Carma, as perseguições e as atuações áuricas, onde, na aplicação deste Espiritismo, é o atuado que se torna o veiculador mediúnico de uma outra consciência, que existe na aura e vem da pré existência, e automaticamente existe depois. Onde se prova ainda, como cada um esteja controlado, também dessa forma, pelos Campos Superiores, o que ninguém, de forma nenhuma, deveria ignorar.

Prova-se assim que um mundo de informações, que assombram, faltava ao conhecimento influenciado pelo Dogma. Informações e fatos que, apesar de carecer de aprovação científica, são a base do "problema existente", que afeta muita gente, já e agora.

Os sábios, já das épocas mais remotas, guardavam os segredos das origens da Humanidade e dos cristais, numa filosofia ligada ao equívoco e ao monoteísmo supersticioso, e nisso, o mundo foi para o caminho do materialismo, e acreditou em um Deus bíblico, como a figura de um respeitável avô..... - uma figura material.

De outro lado, o espiritualismo do mundo sempre foi primário e subordinado a meras palavras, à matéria e às regras que o homem criou para medir o seu poder, regular a única vida que conhecia, seu desenvolvimento tecnológico e intelectual, onde criou valores, leis, esferas sociais, ordens, formaturas, etc., e nunca considerou, sequer, que tudo isso é temporário e, do "outro lado", não vale nada.

Nunca considerou, sequer, que este ser não é somente matéria, mas também uma aura, formada como energia celular, onde é o Espírito que prevalece, porque é a forma que se plasma através da matéria, para um plano de vida tanto diferente quanto maior.

Esta energia de "bio eletrons" puros, que agregada a outras partículas subatômicas, que originam, em certo ponto, o Ego Superior, forma este arquétipo que se evolui nas reencarnações e foge às regras do homem pelo grau de sua evolução. Uma evolução que pouco tem a ver com aquilo que o ser humano normalmente considera, apesar de estar em sua aura, que hoje se fotografa, e que qualquer um pode ver. Desse modo a Litáurica se completa com trabalhos fotografados, estudos, tratamentos, palestras e gravações e escritos

 

No cumprimento, por partes, de responsabilidades cármicas e obrigações espirituais assumidas há muitos anos, na estrutura literária védica, cabia ao mesmo autor, a elaboração desta REFORMA aqui atualizada, até Junho 1.998.

Cumpre-se assim, também, o acordo partilhado com JESUS o NAZARENO, quando Seu contemporâneo, na veste de JOÃO, O BATISTA, concordou em deixar, devido aos tempos que corriam, que o homem chegasse a DEUS e a luz, pela Lei do Amor.

E como GUARDIÃO deste Espiritualismo, volto aqui para assumir, na LITÁURICA, o papel Evangelizador, CONFIRMADO em 15 e 30 de Junho 1.995, antes como "O PEREGRINO", e depois investido da representação Crística, vindo a oficializar também, esta parte doutrinária.

Ao século,

LUIGI. ( In memoriam)

Os Mestres Primordiais

Quanto mais adiantados são, mais sentem a tendência generosa e o ardor do sacrifício em favor de seu irmão, como expressão de amor fraternal.

Com este trabalho conjunto e no decorrer dos séculos, "A presença do Espírito resplandecerá no meio das trevas, as trevas serão dispersadas pela luz, e esta iluminará o caminho dos de boa vontade, e o mundo será bem melhor".

 

A doutrina do amor, baseada na igualdade e fraternidade é a evolução da lei cósmica, onde são regulados os mundos e os Universos, mas um mundo novo irá compreendê-la por etapas. A raça humana tem a sua origem longe nos tempos, e estes instrutores são como os jardineiros que cuidam das suas culturas, que como os anjos, ao lado de cada lâmina de erva, rezam: crescei, crescei.

 

A evolução da humanidade é realizada por ciclos, e a cada ciclo cresce um pouco mais. Cada ciclo tem um programa de conhecimento previsto, e os alicerces da doutrina básica deste ciclo foram postos há muitos anos na doutrina Védica, fonte dos contextos espirituais que servem os quatro cantos do planeta. Esta foi realizada para ser destilada e sintetizada até a sua perfeita compreensão, onde resultará a doutrina universal.

A doutrina védica nasceu no oriente de uma obra literária espiritual formada por 120 livros manuscritos, que foram derivados da mais antiga e Sagrada Obra Mitológica da Humanidade, o Bagavad Gitã, considerado o Pilar da Espiritualidade.

O contexto espiritual se define como "Vedantas", de lá originou-se também o mosaísmo, inspirador do cânone bíblico do mundo ocidental, mas o "traço" unificador entre esta origem e o objetivo final é a Litáurica, nascida neste contexto, pois "Lito" deriva do grego e significa pedra cristalina, que é o seu símbolo espiritual, e a aura ê aquela da vida e do espírito. Liga-se as claras à mensagem védica 6.30: "Para aquele que Me vê através da Minha energia, na pedra, Eu nunca Me perderei e muito menos ele se perderá para Mim".

Na simbologia deste conceito está a terapia curativa das gemas na sua força metafísica como símbolo e alicerce espiritual da religião Universal, onde: "A pedra é o foco do objetivo do ser humano, onde o importante é a cura ou a solução do problema existente". E esta é a desproteção devida a cegueira espiritual da humanidade.

Jesus um dos Mestres Primordiais, estava muito avançado para sua época. Foi crucificado por não ter sido aceita a sua Reforma Espiritual.

Erros realmente fatais são os que têm dado lugar a alegrias de sacrilégios, no meio do sangue e dos horrores de hecatombes humanas, oferecidos ao Deus dos exércitos, quando não são mais que delírios pela posse de bens efêmeros, no meio do triunfo das baixas paixões e da própria submissão ao império da maldade e dos gozos vergonhosos dos vícios. Estas são tendências de comportamentos das humanidades mais que primitivas.

Deus manda então, de tempos em tempos, a todos os mundos, instrutores, e a cada mundo destina espíritos do próprio mundo. Alguns desses instrutores, entretanto, podem ser conhecidos só quando a causa esteja avantajada, nesse meio tempo, porém, a maioria desenvolve seu trabalho científico e auxiliar, numa forma incógnita.

 

Os Messias então, são instrutores avançados, "Mestres Primordiais", cujos ensinamentos parecem utopias. Os Messias devem ser conhecidos, discutidos, porque são portadores das doutrinas, porém como irradiação do amor e do amor para com a família universal, no adiantamento resultante do resultado espiritual, os membros todos são beneficiados e devem ajudar-se uns aos outros, e quanto maior é o progresso destes espíritos, tanto mais devem sentir os deveres da fraternidade.

Não estamos sozinhos no universo, tanto espiritualmente como materialmente. Há milhões e milhões de espíritos habitando o Cosmo.
Na grande pirâmide espiritual, há os que evoluíram e os que ainda saem da animosidade. E todos seguindo as leis universais...
De quando em quando, um espírito mais evoluído encarna entre outros menos evoluídos para ensiná-los e adiantá-los, mostrar-lhes o caminho da grandeza do universo e da pirâmide espiritual. E também vêm entre estes, os Mestres Primordiais...

O Juízo Universal

Vivemos, atualmente, no período do Juízo, aonde acontece a transmigração das almas. A Terra foi promovida de planeta de expiações e provas para planeta de regeneração. Os Umbrais foram limpos e permanecem neste planeta somente aqueles que são dignos de adentrar a Nova Era. Ainda habitam entre nós, espíritos perdidos, mas que tem três encarnações para se regenerarem e aprenderem a nova ordem e a nova doutrina.

           Do livro "Perguntas e respostas", de Abduschin, editado pela Ordem do Graal na Terra, pág. 97- 98:

 

PERGUNTA:
Está escrito: Quando, porém, vier o Filho do Homem para julgar.... Está o Filho do Homem investido como Juiz?

 

RESPOSTA:
Unicamente Deus pode Julgar! O Filho do Homem traz mais uma vez a Sua "Palavra". E nessa palavra encontra-se, então o julgamento! Da maneira como o ser humano receber a Palavra, desta vez, assim julgará a si mesmo. Cada um, individualmente, tem mais uma vez, pela graça de Deus, a livre escolha. Aliás, pela última vez. Conforme o ser humano se comporte perante a Palavra, recusando-a ou aceitando-a, assim está julgado por si mesmo, visto que com isso imediatamente se processa a separação. Esperar representa uma recusa, pois é impossível ficar esperando por mais tempo. Um retorno do caminho escolhido também e impossível! Desta vez vale o sim... ou não.! E imediatamente! Acabou o querer saber melhor, o criticar ou vacilar.

 

O que não estiver categoricamente de acordo com a nova "Palavra" cairá! Arrastar consigo algo do já existente é completamente impossível, enquanto ainda estiver aderida uma partícula que seja, criada pela inteligência humana e que não esteja de acordo com a Mensagem. A "Palavra" tem que ser aceita, agora, completamente intata, inalterada e sem distorções. Não existem ìuuote acordos" com outros conceitos! Tampouco "debates", pois a "Palavra"...é..!

 

Se o ser humano, como que num salto, ousar colocar-se sobre o novo solo, sem levar algo de antigo, isto é, acatando confiantemente a nova Palavra como nova base de seu pensar e intuir, sem influência do que é antigo, assim, a partir do seu novo ponto de vista, verá, de imediato, todos os caminhos se abrirem, caminhos que até agora estavam turvos ou fechados para ele, então reconhecerá também onde havia caminhado erradamente até agora.

 

Se de início não se colocar incondicionalmente no novo solo, de outra maneira o ser humano nem poderá encontrar a Verdade na nova Palavra! De fora para dentro não lhe é possível. Nesse caso. Demasiadas confusões o retêm, não consegue nenhuma ligação.

 

Para esse salto necessário, faz-se mister, naturalmente, um grande esforço, domínio de si mesmo, coragem. Por tal motivo resulta, automaticamente, Que apenas chegam `meta os fortes interiormente, Aqueles que conseguem executar esse salto. Todo o antigo deve ficar para trás, pois o que estava certo em todo o antigo de qualquer forma está contido na nova Palavra. Já que esta emana diretamente da verdade.

 

O necessário salto se faz com que os indolentes, indiferentes e fracos de espírito já fiquem de antemão excluídos! Nunca alcançarão o ansiado e necessário solo novo, prometido a todos os que procuram e o qual, unicamente, pode oferecer a salvação, constituindo uma base firme que nunca vacila nem desmorona.

 

A "Palavra Viva" nunca poderá ser examinada por um dogma ou uma seita! O contrário, porém, sim. A Palavra Viva será a pedra de toque infalível e rigorosa para tudo o que existe! E nisso reside o Juízo inexorável, que finalmente separa os caminhos de todos.

 

Multidões de espíritos humanos, que hoje se julgam fiéis e que numa falsa humildade desejam aproximar-se , arrogantes, do trono de Deus, serão pulverizadas antes de puderem chegar aos degraus do trono! Julgam-se justas e não dão importância à Palavra, até sorriem dela em sua superficialidade e estreiteza, sem pressentirem que com isso enfrentam o gládio judicial do espírito.

 

Por isso, abri vós agora os ouvidos de vosso espírito! Ouvireis muita coisas valiosas para vós e não mais esperareis sossegadamente por coisas que já estão prestes a passar por vós - Despertai, antes que seja demasiado tarde!

              Mensagem da Mesa Litáurica 12/1/2000.
              O sentido da Caridade e o Amor a Deus.

 

Como vocês buscam os seus progressos Espirituais, como vocês atuam em sua vida, no princípio Litáurico? Se vêem querendo mudanças, mas não fazem nada para mudar. Querem alívio e como vocês, e suas consciências, se encontram para este alívio? Como vocês praticam a caridade, como o amor é realizado para vocês, e sobre a sua fé? De que sentimento, vocês querem mudar as suas misérias se não buscam a orientação do ensinamento da Religião Universal Litáurica?

Querem mais provas? Por quê esta descrença? Vêem aqui para o alívio e suas mudanças. Que ensinamento tem e em qual sabedoria vocês se encontram, como vocês tendem querer crescer? Como vocês tendem querer ajudar, qual é o seu sentimento de fé e caridade, e qual é o sentido da fé verdadeira, sem condicionamento e sem alienação.

Que sentido vocês querem evoluir?

E esta que é a realidade não adianta fugir, a nova realidade é essa, daqui as mudanças acontecerão, ponde em prática os ensinamentos que recebeste em instruir, vigiar e orai-vos, para podeis evoluir.

Um Espírito servo da Rainha.

              Mensagem da Mesa Litáurica de 18/1/2000.
              A Transmigração das Almas


Caros amigos,

Hoje iniciou definidamente a Nova Era, onde se encerrou definidamente a Era de Peixes. A partir de hoje, as coisas e as situações do mundo, serão encaminhadas de outra forma de como se apresentaram até agora.

Hoje trabalhamos, nós, os Mentores espirituais e os médiuns da Mesa Litáurica presidida pelo Cristo LUIGI, na limpeza de todas as entranhas de baixo nível espiritual, aquelas de todas as religiões ditas donas da verdade, onde foram removidas, também, as que estavam debaixo da terra, nas profundezas do mar, nas casas, nas ruas, todos os vampiros, todos os que vagam neste tempo desde o surgimento do mundo que vocês habitam.

Todos tiveram as suas chances de acordo com seus livres arbítrios, para poderem se encarnar novamente, mas os que não quiseram ou não estavam preparados, foram tragados para outros planetas para serem, animais, micróbios e vírus. Todos de acordo com seus níveis espirituais. Isto correspondeu em todos os cantos do mundo.

Agora ponde em prática tudo o que aprenderes, porque a Era da Religião Universal Litáurica iniciou. Os princípios e os ensinamentos estão aí.

 

Agora cabe a vocês encarnados, através de seus livres arbítrios, praticarem ou não; a escolha e a decisão é de vocês, porém aqui não ficarão mais; serão levados da mesma forma, de acordo com as suas práticas, o ensinamento e os avisos estão aí. A decisão é de cada um, assumam realmente em suas consciências os ensinamentos Litáuricos porque o que iniciou agora não acabará, pois é o princípio que nunca terá fim.

 

Vocês sabem, o que é a verdade, e a verdade está aqui na Litáurica, busquem-na, e sempre do legado Crístico: - Orai, Vigiais e Instruí-vos.

Pratiquem e não se enganem, porque a Visão Maior não permitirá que o mal e as deficiências continuem, serão todos sugados. Se tendes fé creias, ou morras. Este é, e será o seu Carma final - ou vives os legados Crísticos, ou vem a condenação!

 

Mais a vocês será revelados, a partir de sua consciência evoluírem. Devem deixar estes fanatismos terrestres religiosos e materiais, deixar do condicionamento. Qual vai ser a sua escolha?

 

Um espírito litáurico.

              

           RELATO DO MÉDIUM QUE RECEBEU A "SEGUNDA REVELAÇÃO LITÁURICA".

 


Confirmou a limpeza do astral e dos sub-astrais, assim como os lugares conhecidos como umbrais ou colônias de vampiros, (conforme comunicação já amplamente detalhada recebida por um outro médium da Mesa dois dias antes), indicando que a grande influência maléfica feita sobre a humanidade, por causa desta grande transmigração de espíritos atrasados, cessaria.


Em conseqüência do tópico anterior e a comunicação paralela, as pessoas teriam mais liberdade de pensamento e expressão estando mais capazes de entender a doutrina Litáurica por si só, sem esta influência externa. Dessa maneira cabe a cada um em seu livre arbítrio pesquisar e questionar os fatos, procurando a evolução.

 

Deu como cumprida a missão de LUIGI neste plano, trazendo-lhe as felicitações do Plano Espiritual, pela realização da Litáurica assumindo nela a sua posição Crística, dando como relevo que vários, no passado, receberam destas tarefas corretivas espirituais e não souberam cumprir, deixando-se extraviar pelas tentações deste mundo materialista. Deixou a seu cargo apenas a missão de zelar para que a árvore cresça reta e forte e pela preparação dos seus discípulos para levar a boa nova as nações.

 

Juntamente com a revelação de Raphael, outras Entidades da mesma vibração estavam nos outros mundos civilizados que de expiação e provas eram promovidos a planetas de regeneração, ou seja, não só a Terra foi agraciada, mas também outros planetas no universo, onde em todos, foi proclamada a Litáurica, como Religião Universal.


Agradeceu ao Cristo LUIGI em nome do Pai, pelo brilhante trabalho feito em pró da evolução da humanidade e deste globo.


Proclamou que a partir de três gerações não haverá mais entidades atrasadas que não contemplem os princípios básicos da evolução que estão contemplados na Litáurica, ou seja, neste tempo serão removidos do planeta Terra todos aqueles que não contemplarem em sua vida os conceitos desta Religião.

 

A partir destas três gerações o mundo não será mais como o conhecemos hoje, mas um planeta de grande evolução. Para isso ocorrerão grandes revoluções que tornarão a Terra palco de inúmeras manifestações.

 

Entre as manifestações citadas, Raphael contempla que inúmeras calamidades ocorrerão. Servirão a correção da humanidade que se condicionou a ser regenerada. Muitos dos que hoje são encarnados e que continuarão por mais três gerações, poderão optar pelo avanço ou pelo atraso, assim haverá surtos fanáticos, guerras e calamidades, por não compreenderem a Litáurica, mas enfim serão retirados. Estes exemplos são dispostos pela providencia divina para que os outros habitantes do planeta possam observar e requerer a necessária mudança, pois nisso se formarão as razões evidentes da gigantesca transformação.

 

Foi declarado o inicio da Nova Era oficialmente pelo Plano Espiritual, aonde o Juízo durará 10 anos astrais, correspondendo a 1000 anos terrestres. Conforme o contexto já anunciado pela Litáurica do Reino dos Mil Anos, ainda há chances para muitos, pois é suficiente querer se recuperar, pensar melhor. Raphael citou a parábola dos trabalhadores da última hora, de Jesus Cristo.

Comentário do médium que relatou a mensagem:

Sinto necessidade de comentar sobre a vibração da entidade que proclamou estar também a direita do Pai segurando a flâmula do amor e a espada da justiça.....A vibração da entidade foi de uma distância gigantesca, como se fossem planos e planos, anos e anos luz de distância, mas com uma severidade de quem julga e está apto a fazê-lo. Havia amor, mas um amor muito justo, mais do que uma mente humana pode compreender. Quando me questionei porque não sentia vibrações de luz e amor gigantescas pelo "status" da entidade veio-me a seguinte resposta na mente: "Uma justiça maior do que podes compreender em seu grau de evolução e no próprio ambiente em que habitas", uma resposta nua e crua com imenso grau de responsabilidade, severidade e sabedoria, bem parecido com a Litáurica, mas relatou que isso era amor, em estágio muito avançado. Estas foram as coisas de que me lembrei, mas sinto a necessidade de relatar que agora, escrevendo estas linhas, minha mente parece estar expandida capaz de penetrar em muitos lugares.

Subscrito e assinado pelo médium e vários presentes à sessão.

Sessão 29/1/2000. RELATO.

Houve uma sessão de trabalho normal e depois, ao seu final, veio um chamado para ficar mais um tempo, pois parecia que ia-mos ter ainda alguma comunicação mediúnica. Ficamos aguardando em concentração e o médium foi envolvido, mas de uma forma diferente, mediunicamente estava sendo levado a ver coisas. Parecia voar e do alto enxergava os lugares que era levado a visitar, por uma força maior. Foi para o Umbral onde não havia mais ninguém. Visitou várias dimensões do sub-astral, onde enxergava que ainda transudavam do sombrio e do sofrimento, porém eram desertos. Depois foi levado acima de arquibancadas de granito, como fosse um anfiteatro muito antigo e ruínas antigas. Ele teve impressão que fosse Roma onde deveriam acontecer coisas muito ruins ligadas ao Vaticano e a igreja a breve termo. Foi levado ainda a ver do alto os Estados Unidos que lhe pareciam desertos e devastados e ainda, viu cidades brasileiras devastadas pelas águas do mar.....Não vou relatar quais, porém é necessário que as pessoas levem a sério aquilo que aqui vem relatado, pois está no ar. O Juízo está no ar e pode atingir qualquer lugar, não somente as pessoas serão castigadas e selecionadas, mas as localidades, as cidades e o países. As pessoas devem recuperar-se. A carga negativa que lhe provinha das influências negativas dos baixos escalões espirituais, não existe mais, pois estas entidades que lá amargavam os seus sofrimentos milenários, foram retiradas e transferidas para longe. Há necessidade agora de uma maior consciência, deve-se destruir a idolatria e o condicionamento mental religioso milenário das igrejas, da bíblia adulterada. Sirvam estas comunicações como um alerta final, porque ainda há muitos no Astral querendo reencarnar para enfrentar as suas provas e o tempo disponível é pouco. Há muitos espíritos concorrendo a um lugar neste mundo da paz, que aqui é fadado para acontecer. Muitos ainda serão retirados daqueles que não serão capazes de superar as suas provas e entre estes, muitos serão condicionados a recomeçar novamente em algum planeta distante. Pensem bem nisso todos. Deve acabar o falso culto a Deus, a idolatria, a crença do perdão fácil pela oração. Pensem mais na lei das conseqüências, de Talião, da reencarnação e as possibilidades perdidas.